24 de janeiro de 2011

Entrevista com Loraine Pivatto

Loraine é gaúcha, nasceu e vive em Porto Alegre. Graduada em Informática pela PUCRS e pós-graduada em Análise de Sistemas nesta mesma Universidade, trabalha há mais de dez anos na área de Tecnologia da Informação, como Administradora de Banco de Dados. E todo esse conhecimento nessa area ajudou a criar seu primeiro e grande romance, Perseguição Digital.  Que ate já foi resenhado pelo Pocket [Aqui]. E alem de tudo isso, uma grande escritora que nos cedeu essa entrevista, para conhecermos mais sobre sua vida e obra! E para conhecer mais, visite seu site: http://www.lorainepivatto.com.br/


De onde surgiu a idéia para o livro? De alguma experiência ligada ao seu trabalho como analista de sistemas? Sim, exatamente. Existem programas que servem para dar suporte remoto aos usuários, onde é possível ver os procedimentos que o usuário está efetuando no seu computador e inclusive tomar o controle da máquina para alguma eventual correção. A tela do usuário é capturada e o técnico pode examinar o que está sendo feito (claro, com o consentimento do usuário). E foi pensando nisso que veio a ideia do livro. Fiquei imaginando o estrago que poderia causar um programa d esses nas mãos de alguém mal intencionado hehe Então criei Joana, que na verdade não era totalmente mal intencionada, não tinha intenção de lograr ninguém, mas sim, tinha um forte motivo para rastrear a vida daquele homem que tanto amava. O que poderia ser mais forte do que um coração estraçalhado? rsrsrs 
Como surgiu a idéia da personagem Joana? Você se identifica com ela?
A ideia na construção da Joana foi criar uma mulher forte, batalhadora e inteligente, que de uma hora para outra vê o seu mundo literalmente desabar. Ela simplesmente não se conforma com o rompimento com Fernando e não quer virar a página e partir para outra, sem antes entender o que de fato havia acontecido. Quis mostrar a evolução da personagem e todos os conflitos pelos quais ela passou: uma profunda solidão, falta de objetivos para seguir em frente, grande tristeza, até, aos poucos, ir se dando conta de coisas que teriam que ser mudadas na sua vida.Posso dizer que me identifico um pouco com a personagem no quesito teimosia rsrsrs mas no lugar dela teria tido atitudes diferentes, afinal, a pessoa mais importante de nossas vidas tem que ser nós mesmos e não podemos nos permitir sofrer tanto assim por ninguém. Na ânsia por respostas, Joana entrou num ciclo vicioso de depressão e acabou tomando atitudes prejudiciais a ela mesma, além de ilícitas.

Você acha que o amor que Joana sentia por Fernando era saudável ou chegava a ser obsessão, como ate mesmo Carol diz a ela?Eu acho que saudável é o amor que traz alegria e paz e o que Joana sent ia era obsessão (pelo menos no período após o rompimento, em que ela não conseguia pensar em mais nada a não ser nele. Depois, aos poucos as coisas foram mudando e Joana foi encontrando outros prazeres.)

Fiquei sabendo que esta trabalhando em outro livro, ele também terá como fundo o plano da informática ou é totalmente diferente?Sim, estou com outro livro em andamento, mas este não trata de assuntos de informática. É um romance também, mas a personagem principal é dona de uma confecção e pertence a uma família tradicional, que possui uma empresa consagrada no ramo de perfumaria.

Sabemos que lançar um livro no Brasil não é nada fácil. Como foi essa experiência pra você?Foi uma experiência bem agradável. Fiquei muito feliz em ter conseguido dar esse pontapé inicial, pois realmente é difícil partir do zero e publicar o primeiro livro. Não sabemos os critérios das editoras, o que consideram vendável ou não, além do que um autor iniciante normalmente não tem referências literárias para apresentar, o que torna difícil vender seu peixe. Agora que passei a vislumbrar um novo mundo e a conhecer tantas coisas novas a respeito de todo esse processo de edição, bem como pessoas do ramo, acredito que as próximas publicações sejam mais fáceis. Ao menos estou me dedicando com bastante entusiasmo e interesse para que o meu trabalho progrida.

Seu livro teve uma boa aceitação pelo publico, o que acha disso?Nossa, fico muito feliz. É muito gratificante ler as resenhas de tantos leitores e blogueiros e ver como gostaram do livro. Isso me incentiva demais a seguir em frente. Só tenho a agradecer, pois são todos muito queridos comigo.

Qual conselho que você da para as pessoas que querem ser escritoras?Aconselho muita leitura, preparação, estudo e força de vontade. Estar aberto a aprender SEMPRE, o máximo possível. Buscar orientação de quem já trilhou o caminho das pedras. É preciso também humildade para aceitar as críticas e entender que nem sempre aquilo que julgamos bom, cairá no agrado do público. Acho muito importante ter flexibilidade, mas o principal MUITA VONTADE DE APRENDER.
Acho que é isso gente.
Grande beijo e obrigada pelo carinho.
Loraine

Um comentário :

  1. Legal a entrevista =D legal ela ter escrito um livro que fala +/- a historia da vida de uma garota bem parecida com a vida dela, ja que as duas se encontram no mundo digital e tals, e o livro parece interessante tbm =D vou ler assim q der.. aah flor, tem meme + selinho pra vc no meu blog! =D bjs.

    ResponderExcluir